Vem do Episódio 3

Não confundas a história da espiritualidade com a da religião. A religião é apenas um incidente do evento espiritual, que é o diálogo nosso, humanos desamparados diante das forças maiores que se nos apresentam, e o poder que invocamos através de nossas perguntas e confissões, o diálogo.

E o milagre de proporções cósmicas que segue à constatação de como funcionam as coisas e à tomada de decisão de participar por livre vontade, não raramente nos conduzindo a desempenhar desapegadamente papéis que pareçam, nesse momento e lugar, contrários ao que seria bom aos olhos de nossos semelhantes.

Sermos instrumentos de forças maiores, é ambígua a relação humana com esta perspectiva, pela dignidade ou pelo ressentimento.

É disso que trata a espiritualidade, nossos dilemas íntimos tendo de encontrar seu lugar na imensidão que nos deixa perplexos, mas que temos de administrar porque é o que temos e não se pode negar o que temos.

Por isso, esta história que te conto, como toda história, tem também personagens, datas, lugares e todo o movimento que vai se organizando em torno dos eventos que influenciam o destino da humanidade. Poderíamos afirmar, sem lugar a erro, que a história humana é o que vai acontecendo entre um evento desses e outro.

O encontro da percepção autocentrada com aqueles que enxergam a unidade maior de todo o processo em marcha. O encontro do humano e o divino.

 

Segue no episódio 5